quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Afinal qual é o valor da palavra?

Actualmente o Português encontra-se como a quinta língua mais falada de todo mundo e estima-se que cerca de 240 milhões de pessoas utilizem regularmente a língua de Camões.
As antigas colónias portuguesas herdaram uma grande fatia cultural do nosso país e ainda hoje são inteiramente dependentes do seu uso. Falo em concreto da língua, que como é evidente moldou-se às diversas culturas onde foi implantada. Tudo isto deu origem a várias divergências linguísticas entre todos os países onde se fala o Português, estes que não poderiam virar a cara às mudanças realizadas na língua com o passar dos anos.
Logo após a implantação da República, em 1911 foi tomada uma profunda reforma ortográfica que mudou drasticamente o aspecto da língua escrita, tornando-se muito próxima do que constatamos na actualidade. Esta foi a primeira medida de simplificação da língua, que transformou palavras como "philosophia" e "rva" nas actuais "filosofia" e "rua". Todavia só em 1945 é que esta mudança entrou em lei, tornando-se assim o primeiro Acordo Ortográfico. O Brasil por seu lado assinou o Formulário Ortográfico de 1943 dando origem ao conhecido "Português do Brasil".

Nos dias que correm a maioria da população vive um pouco céptica em relação ao novo Acordo Ortográfico assinado em 1990. No início deste ano o Brasil já entrou em vigor com as novas regras ortográficas estabelecidas, enquanto Portugal tem a obrigação de as pôr em prática até final de 2012. Esta nova reforma vem com o intuito de unificar a Língua Portuguesa, de modo a aumentar o prestígio internacional, dando fim há existência de duas normas ortográficas. Segundo a análise ao impacto na língua, concluíram que no Brasil a mudança chega apenas a 0,45% mas em Portugal a diferença atinge a marca significativa de 1,6%. Algumas das alterações mais profundas vão desde a eliminação do "h" no início e no fim das palavras (Húmido/Úmido); As silabas surdas são por sua vez também retiradas das respectivas palavras (Acção/Ação), (Acto/Ato), (Adopção/Adoção) e (Baptismo/Batismo); O alfabeto também vai sofrer mudanças com a introdução de três novas letras ("K", "W" e "Y").

Todo este processo já deu origem a bastante polémica, onde certas personalidades manifestaram o seu desagrado, argumentando-se que as dificuldades de compreensão são mais relevantes na língua oral, sobre as quais o Acordo não pretende ter qualquer influência. Os mais patriotas acham que Portugal ao se submeter a este Acordo está a pôr de parte o seu orgulho e a sua cultura por causa da supremacia de população do Brasil (180 Milhões de habitantes). Em contrapartida há quem defenda que tudo isto se trata do progresso da língua e que devemos levar com normalidade, pois também irá trazer benefícios no âmbito das ligações comerciais e políticas entre os países de Língua Portuguesa.

Não me pretendo enganar, Acordo Ortográfico.


Aproveito para pedir desculpa por não ter publicado nada a semana passada mas andei ocupado com assuntos escolares. Em relação à ultima sondagem realizada "José Sócrates está inocente no caso Freeport?", o "Não" com 12 votos obteve 60% contra os 8 votos do "Sim" que deram origem a 40%.

Já abriu uma nova sondagem, e faço desde já o convite para votar no novo tema.

Cumprimentos
André Alves

8 comentários:

  1. Eu sou céptico por natureza. E o meu cepticismo, como não poderia deixar de ser, estende-se também à questão do acordo ortográfico

    Contudo, daqui aqui a algum tempo deixarei de ser céptico. E deixarei de ser céptico não por concordar com as alterações impostas pelo acordo ortográfico, mas porque uns quantos iluminados decidiram que... passarei a ser cético.

    Ora, a principal razão para que haja este acordo prende-se com o facto de existir a necessidade ( não sei bem de quem) de uniformizar a língua portuguesa.

    Portugal quer ser grande! Portugal quer poder dizer que o Brasil fala português de Portugal!
    Eu compreendo bem a agitação de uns quantos iluminados. Basta comprarem um qualquer software de computador, ou entrarem nalguns site internacional, para verificarem que podem escolher várias línguas (entre as quais português de Portugal e português do Brasil).

    É óbvio que isto chateia a muita gente! A mim também me chateia devo dizer. Só que eu, ao contrário de muita gente, não acho que isso é motivo (pelo menos racional e proporcional) para alterar a maneira como nós portugueses escrevemos o nosso português.

    Porque havemos de alterar? Porque somos menos que os brasileiros?

    E o que mais me intriga nisto tudo, é que semanticamente vamos ficar mais pobres...
    Eu faço uma pergunta: Se eu escrever.:

    Esse fato não é novo!

    O que é que eu quis dizer?

    Que a indumentária de alguém não era nova ou que uma determinada circunstância já tinha sido referida?
    E quem dá este exemplo dá muitos mais, como pacto e pato tracto trato etc...

    Na ânsia de corrermos atrás de outros, estamos a maltratar e a desrespeitar a cultura da língua portuguesa!

    ResponderExcluir
  2. Que nervos, que ódio, que revolta.
    Quem é o que quer que seja para ter o poder de alterar a Língua Portuguesa ? Compreendo e aceito que todas as linguagens sofram alterações, sofram evoluções, acrescentos e se vão moldando às nossas necessidades (vários francesismos e palavras de linguagem informática, entre outras claro, estão a entrar nos nossos dicionários, actualizados quase dia sim, dia não..)

    Não defendo que se continue a dizer cousas em vez de coisas, como há quinhentos anos atrás, ou se troquem os u's pelos v's, mas caramba!? Tirar o H do hoje!? passamos a dizer óje tipo animais ? e tirarem os h dos hei-de.. isso é um insulto a tudo o que mais nosso é, ao mais profundo do que é PORTUGUÊS. temos o dom de falar e conseguir comunicar numa das mais complexas e expressivas línguas do mundo, e vamos simplificá-la para passar a dizer OI GALERA!?

    Fomos nós que lhe passámos a língua, e não eles. Até fomos nós que os descobrimos! Está bem que eles são uns quantos mais do que nós (...) mas não é motivo suficiente.

    Que sa fodam esses canalhas que têm globalizaão escrio na testa e me querem arrancar os h's e os hífens..

    [relido o que acabei de escrever quero apenas esclarecer que não desgosto da´língua brasileira, sei que o acordo ortográfico se enquadra em mais regras para além dos h's, nomeadamente hífens e letras não soletradas, e sou COMPLETAMENTE a favor e adepta da GLOBALIZAÇÃO, só não creio que seja factor explicativo para aletrar línguas, NEM NECESSÁRIO! ]

    ResponderExcluir
  3. Pois, eu discordo plenamente deste novo acordo ortográfico que já foi tema de algumas longas conversas que tive. Para não repetir nada do que já foi dito acima, basta-me somente acrescentar que percebo que existe uma evolução constante e que isso implique medidas, e que em certos períodos de tempo o contexto sócio-cultural exija que existam mudanças quer na língua como expressão escrita como falada. Agora o que penso, é que se olharmos ao ensino Português, encontramos-nos numa fase de estupidificação total, e isto é sério! Peguem nos vossos primos mais novos,irmãos ou irmãos de conhecidos duma faixa etária que vá até aos 15, 16, 17 anos! A grande maioria têm uma lacuna enorme quer em cultura geral, quer nas matemáticas, físicas, e nem sabem escrever correctamente uma frase graças as horas que passam a mandar mensagens "msgx" no telemóvel "tlm" na internet "net" para falar de porcarias non sense que eles falam hoje em dia!Eles por exemplo, têm tido muitas facilidades, e mesmo assim os resultados são os que são, simplificar a língua é dar mais um empurrão a sua estupidificação! A questão é que não estamos numa altura em que seja prudente, já têm havido demasiadas mudanças nos últimos tempos, e se querem tornar o Português mundial mais homogéneo então os outros países de língua portuguesa que sigam o nosso padrão e se enquadrem com o País de origem da sua língua. É isto que tenho a dizer! Abraço com cedilha

    ResponderExcluir
  4. as variaçoes didacticas no nosso pais sao bastante notorias. convivemos com essas diferenças todos os dias. tal como as diferente ortograficas, essas alteraçoes que vao fazer nao fazem muito sentido. parece que nos estao a passar um atestado de burrice. cada vez se vao esforçar menos por escrever bem, pois ate vao começar a aparecer palavras que se escrevem da mesma maneira. se se queixam de como os jovens escrevem hoje em dia nos sms e nos chat, pois cada vez tiramm mais letras e escrevem esxactamente como se diz, o novo acordo ortografico está a fazer exactamente o mesmo.
    vamos a ver qual vai ser o resultado disto...

    ResponderExcluir
  5. pois... nós falamos portugues correctamente... porque mudar ? Pelos que nao falam... ahahah

    ResponderExcluir
  6. Alexandre Oliveira19 de março de 2009 02:14

    Que sa foda o novo acordo ortográfico, vou continuar a falar e a escrever da mesma forma de sempre. Sou português, não sou das tribos que colonizámos no passado.

    PORTUGAL AOS PORTUGUESES.

    ResponderExcluir
  7. mete um poxt novuh

    ass bogax

    ResponderExcluir
  8. Boas!
    Achei este um teu post muuuito interessante. Na verdade, acho que este assunto não tem tido a atenção que me parece que mereceria. Tem sido pouco frequente o debate dos media sobre este tema, pelo menos não com a intensidade com que ouvimos socratadas e pintelhices afins.
    Quanto ao que interessa (ou ao que não interessa), uma bomba naquele não-cérebro, era o que mereciam os que mandam nesta terriola e que aprovaram o medonho acordo "ortomerdas".
    Evolução? -Sim, quanto a adaptações naturais da língua aos povos, completamente de acordo. Mas vender-nos? Sujeitar o nosso património a interesses puramente económicos?
    Aputanhem o pouco que sobra nosso. Força!

    Desculpa la a linguagem! abrc

    ResponderExcluir