terça-feira, 7 de abril de 2009

Coreia (sem) Norte

No passado dia 5 de Abril, Barack Obama discursou em Praga apelando ao desarmamento nuclear mas "ironicamente" horas antes a Coreia do Norte se manifestou com o lançamento de um foguetão Taepondong-2, desta forma criando um ambiente de intranquilidade motivado pela quebra consciente da resolução de 2006 da ONU, esta, que proíbe fazer ensaios nucleares ou de misseis balísticos.
Kim Jong-il já tivera ameaçado o lançamento de um míssil quando o exército americano e o japonês se encontrava a realizar exercícios navais e aéreos ao redor do Japão, originando uma enorme tensão no território nipónico, pois a trajectória do projéctil passaria pelo seu respectivo espaço aéreo. Exactamente foi isso que aconteceu durante 7 segundos após o lançamento de Taepondong-2 que mais tarde se iria despenhar no Oceano Pacífico a 3200 km do seu ponto de partida.

Neste acto que aparentemente não envolveu consequências materiais ou humanas, o líder Norte Coreano continua a desafiar as entidades mundiais com as suas atitudes irreflectidas de um ditador que mantém uma população encarcerada sem um mínimo de consciência do mundo fora das suas fronteiras. Creio que o que se constata dentro do seu Estado é o melhor exemplo vivo do que George Orwell idealizou no seu místico livro 1984. Reforço esta minha ideia baseando-me no pseudo-satélite lançado no passado domingo pela Coreia do Norte, que vem teimando em comunicar que este se encontra em órbita a difundir "canções imortais patrióticas". Nada impede que Kim Jong-il se lance na exploração espacial, mas vários especialistas afirmam que não se encontra nada em órbita, enquanto o seu povo sem a informação real vai ingenuamente ceder ao comunicado do seu "Querido Líder". Líder que realmente não se sabe se ainda está no poder, retirado ou enterrado.

Quem saberá?

Não me enganas/enganaste, Kim Jong-il.

9 comentários:

  1. Já tinhamos falado neste assunto meu caro amigo, o que lá se passa não se sabe.
    Tanto quanto sei Kim Jong-il teve uma qualquer debilidade na sua saúde mas já está recuperado e continua a fazer as suas traquinices lá no seu país.

    ResponderExcluir
  2. Um cidadão indignado com o estado das coisas.9 de abril de 2009 13:18

    Kim Jong-Il é uma personalidade que deve ser agraciada por todos os cidadãos conscientes !
    Mantém o seu povo na linha, não é como os nossos políticos, em que cada um faz o que quer e bem lhe apetece, vejam lá ! A Manela Leite é que tem razão quando diz que 6 mesitos sem democracia não fariam mal a ninguém ! VIVA A DITADURA, VIVA A OPRESSÃO !

    ResponderExcluir
  3. o problema é que depois dos mesitos sem democracia passam a 50 anos..

    ResponderExcluir
  4. O mesmo cidadão indignado com o estado das coisas !12 de abril de 2009 18:57

    e se calhar 50 anos faziam muito jeito ! Por alguma coisa o senhor António de Oliveira Salazar foi eleito o maior português de sempre ! Desenvolveu sobremaneira o nosso país !
    Faz-nos falta um ditador para acabar com a blasfémia com que os dias de hoje são encarados pela nossa geração...rasca.

    ResponderExcluir
  5. Mais um cidadão.14 de abril de 2009 02:19

    COMUNICADO José Pinto Coelho, presidente PNR.


    25 de Abril.


    Estranham por certo que me refira a esta efeméride como algo importante. Mas insisto que sim: importante pela negativa!
    Assinalam-se os 35 anos de uma das páginas mais negras da nossa História quase milenar. Uma daquelas páginas que ombreiam com muitas outras de tragédia, traição ou humilhação, tais como, por exemplo, a Crise de 1383-85, o Domínio Espanhol, as Invasões Francesas, a Guerra Civil do século XIX, o Mapa Cor-de-Rosa ou o 5 de Outubro Maçónico e Jacobino.
    Goste-se ou não do anterior regime, que estava podre, por certo, e minado por medíocres, a verdade é que no essencial não era anti-nacional. Já o 25 de Abril, feito pela verdadeira geração rasca, trouxe consigo a grande traição ao sangue português derramado no Ultramar e fez emergir uma classe política medíocre, oportunista, entranhadamente corrupta e anti-nacional que não tem parado de roubar Portugal e hipotecar o seu futuro.
    Saímos do terror comunista do PREC e entrámos de seguida no horror deste sistema de destruição nacional, no qual os ditos defensores da liberdade e tolerância, mais não fazem do que blindar um sistema totalitário, hipócrita, dominado pela maçonaria e lóbis, cujos frutos podres estão bem à vista: perda da independência nacional, invasão imigrante, desemprego, precariedade, endividamento das famílias, cultura de morte (aborto, homossexualidade eutanásia, droga), criminalidade, corrupção, impunidade dos poderosos, fosso crescente entre ricos e classe média empobrecida, pobreza de um quinto da população, endividamento externo, envelhecimento da população, falta de esperança no futuro…
    Eis pois, o “brilhante” legado da revolução abrileira que nos veio “libertar”...

    ResponderExcluir
  6. MAs este blog
    é facnhista?

    ResponderExcluir
  7. era bom era quando não viviamos em democracia e até para andar com isqueiro era preciso licença. Sim, era mesmo preciso ter uma licença. Portanto viva Salazar, pelo menos salvou-nos de vários incêndios com causa humana! LOL ass: Garcia

    ResponderExcluir
  8. http://tomaranosisto.blogspot.com/

    uma nova candidatura à câmara municipal de Tomar. Por Tomar diferente, por Tomar mais jovem!

    ResponderExcluir
  9. quero ver neste blog uma dissertação ou recenssão crítica sobre o meu trabalho "Propagandas Silenciosas" de Ignácio ramonet... espero que já tenhas lido tudo mas se quiseres eu empresto-te o livro... =)


    jacka

    ResponderExcluir